Atualizado em 10 de março de 2014 às 11:36

Comissão de Saúde inicia pressão política…

… para obra da UCT.

As plantas estariam aprovadas, mas Santa Casa ainda não iniciou a obra.

Durante a comemoração de seus 66 anos, a vereadora Sônia Leite contou com a presença de seu principal apoio político na Assembleia Legislativa (AL) e dentro do próprio Partido Progressista (PP), o deputado estadual Pedro Westphalen. Sônia aproveitou a presença do ex-presidente da AL para uma pequena agenda política no sábado.

Na Câmara de Vereadores, Westphalen esteve reunido com os vereadores membros da Comissão de Saúde, Meio Ambiente e Assistência Social, Edimar Fagundes (PRB), presidente, Cláudia Souza (PR), Ramão Elias Bogado – Bocão (PTB), Uílson Morais (PMDB) e Sônia. Em pauta a audiência pública sobre a volta da Unidade de Coleta Transfusional (UCT) para Bagé.O município perdeu o serviço e agora depende das coletas realizadas com o auxílio do Hemocentro de Pelotas, que realiza coletas semanais no município.
A coordenadora da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), Rosane Oliveira, realizou um pequeno relato sobre a perda do chamado Hemocentro de Bagé. Em 2011, a Vigilância Sanitária fez alguns apontamentos de melhorias para que houvesse a liberação do alvará. A Santa Casa ficaria responsável, mas nunca solicitou o alvará, a prefeitura assumiu a UCT, mas logo depois foi fechada devido às condições sanitárias inadequadas.
Conforme Rosane, a planta e o projeto para as obras de melhorias no local onde funcionava a UCT de Bagé já foram aprovadas na prefeitura, o que ainda é necessário é que a provedoria da Santa Casa comece a obra, que vem prometendo o início desde o ano passado. A última visita dos vereadores da Comissão de Saúde à Santa Casa foi em janeiro, quando também foi prometido o início da obra, mas até o momento sequer um tijolo foi levantado.
Este colunista tentou contato com o provedor da Santa Casa, Luiz Alberto Vargas, mas ele não retornou nenhuma das ligações.
Busca por doadores
Os dados da 7ª Coordenadoria de Saúde apontam que o número de doadores aumentou após a saída da UCT de Bagé. Os números anteriores mostravam uma média de 40 por mês, agora, com as coletas realizadas pelo Hemopel no Hospital Universitário, esse número passou para 200, uma média de 50 por semana.
Aumentar o número de doadores é, segundo Rosane, o principal movimento que deve ser feito para que o governo do Estado apoie a volta do Hemocentro de Bagé. As características geográficas da região também são argumentos importantes.
Audiência pública
A audiência pública sobre o hemocentro está confirmada, mas ainda não há data certa para ser realizada. Um dos pontos retóricos dos vereadores em busca de apoio político é o polo que a cidade exerce na região. A estimativa é de que, hoje, Bagé atenda 12 municípios da Campanha com serviços de saúde, o que torna urgente que não haja mais dependência do Hemocentro de Pelotas.
Também existe a necessidade das demais prefeituras unirem-se na captação de doadores, expandido a campanha de incentivo à população de cidades vizinhas realizarem as doações nos dias de coleta em Bagé.
Estrada Bagé-Lavras
A estrada Bagé-Lavras também foi assunto na agenda política de deputado Pedro Westphalen. O progressista falou em evitar desgastes políticos e unir forças partidárias para a conclusão da obra. A importância da estrada foi citada, inclusive, como uma estrutura necessária, não só para economia, mas também para melhorar o acesso aos serviços de saúde e reduzir as distâncias de municípios como Lavras do Sul e São Gabriel, que hoje se socorrem em Santa Maria.
Fonte: Jornal Minuano
 
 
 

Seja o primeiro a comentar

 
 



 
 


oito × = 72

 
 

Clique em Curtir

 

Previsão do Tempo

 
 
 
Curta a Alternet no Facebook
Desenvolvido por | Time 7