Atualizado em 30 de julho de 2013 às 13:02

Aplausos

NO RECITAL de piano, sábado, no IMBA, o que mais me emocionou, além do virtuosismo do jovem pianista Arthur Simões, foram as palavras que ouvi de Dea Grillo Dini: “Na música, as diferenças não existem, pequenas antipatias são esquecidas, mágoas dissipadas. Tudo é envolvido pela beleza e magia dos sons que saem do teclado. Amigos confraternizam. Famílias se abraçam. Isso é mágico, é sublime, é de se admirar, é de se agradecer de alma e coração abertos”. Para vocês terem ideia do tamanho da emoção da Grillo Dini, após o recital, Arthur voltou ao piano para uma improvisação especial dedicada a ela que mal cabia em si de tanta satisfação. Nesse momento, aproveitei para fotografá-los juntos do também talentoso José Artigas que, amanhã, viaja a Montevidéu, onde vai cantar, sexta-feira (5), no Theatro Solis. Aplausos!

Arthur e a avó Maria Luiza Avello

QUE Arthur Simões já é um grande pianista, aos 17 anos, é um fato. Além de muito educado, ele é atencioso ao extremo. Não há como negar, a escolha de um repertório adequado faz a diferença num recital e Arthur soube escolher o programa certo. Até Villa-Lobos (Alma Brasileira) para delírio da plateia. Às vezes, os músicos, de tão eruditos, optam por músicas totalmente desconhecidas do público que fica com cara de paisagem o tempo todo. Eles acabam tocando para eles mesmos. Mas Arthur tocou Beethoven, Liszt, Dominique Rey e Villa-Lobos; foi aplaudidíssimo!

Arthur Simões, Daniela Avello Simões Pires, no recital sábado, no IMBA

APÓS o recital, os avós do pianista, Maria Luisa e Álvaro Lahorgue recepcionaram no salão anexo do IMBA. Mesa de queijos, patês, pães e salames para acompanhar o bom vinho servido. Era flash para todos os lados. Álvaro Lahorgue aproveitou para relembrar que o IMBA, com mais de 92 anos de fundação, é, no Brasil, uma entre as apenas e tão somente nove Instituições Públicas Municipais de Música. E nesses longos anos de vida, dedicou-se sempre e de forma incansável a receber alunos das mais diversas idades, para que  ali desenvolvessem suas habilidades na música, no canto, no ballet, na declamação. É no Salão Carlos Gomes que rotineiramente os alunos do IMBA fazem suas apresentações, quando então tais momentos, sempre significativamente especiais, transformam este pequeno espaço em um dos lugares mais iluminados. Uma vez neste palco, surgem e brilham artistas que, para o orgulho de todos nós, projetam-se mundo a fora fazendo sucesso nos mais diversos salões do mundo. Mas os “Filhos do IMBA” sempre voltam e, ao aqui retornarem, revivem emocionadamente seus momentos “aluno”, manifestando o desejo de, sempre e mais uma vez, apresentarem-se no Salão Carlos Gomes, não como virtuosos talentos reconhecidos mundialmente, mas simplesmente como ALUNO que aqui foi “forjado nas Belas Artes”. O reconhecimento a esta instituição quase que centenária, pelos que aqui já passaram, transforma-se sempre em Música, Dança e Saudades, avivando o coração na certeza absoluta de que devemos eterna gratidão e, principalmente, atenção ao IMBA, lançando um “olhar” constante em seu futuro, possibilitando desta forma a continuação desta “forja de estrelas”. Nesta noite, ouvimos mais um jovem aluno que aqui iniciou seus estudos, ARTHUR SIMÕES, atualmente com 17 anos de idade e morando em Genebra já há oito anos, concluiu seus estudos em Piano Clássico no “Conservatoire de Musique de Geneve”, em junho último. O que chama especial atenção de todos nós é que o piano principal do IMBA é de 1915. Entendemos que é chegada a hora dele ser substituído por uma necessidade imperativa de melhor qualidade. Neste sentido, através dos “dedos quase mágicos” do nosso jovem pianista, encerraremos um ciclo e, de forma simbólica, estamos “aposentando”, para os recitais, este piano, com a certeza de que o PROJETO OITENTA E OITO TECLAS, a compra de um novo piano, seja abraçado por todos para que as próximas apresentações sejam realizadas em um novo e moderno instrumento. O IMBA necessita desse instrumento e Bagé é merecedora de tal presente. Nossos agradecimentos a todos, principalmente aos patrocinadores deste recital.

José Artigas, Sônia e Leôncio Carlos Akstein, no recital sábado, no IMBA

APRECIO muito quando esta social deixa “dicas” de pautas em aberto. Sábado, disse que a ministra do Supremo Tribunal Eleitoral, Maria Cristina Peduzzi, sempre que está na cidade, vai ao salão do Paulo Veiga. E, hoje, lhes conto que, a caminho do salão, ela sempre chega à Corrêa Engenharia Rural. Sabiam que o escritório do Paulo Pacheco Corrêa presta assessoria a grandes empresários do Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Roraima?… DIA 6 de agosto, na ASM Materiais de Construção, evento fará uma amostragem de revestimentos, pisos e metais das marcas que a loja comercializa. O mais bacana é que este momento será em beneficio à Liga de Combate ao Câncer… NESTE DOMINGO (4), os diretores do Rotary Clube Rainha da Fronteira promovem mais um Café Colonial servido a partir das 15h, no Clube Caixeiral.

Lúcia Antônio de Mello, Magali Collares Gonçalves, Gilca Nocchi Collares, Maria Luisa Avello, no recital de Arthur Simões, no IMBA, sábado

NA MESMA edição, falei nos brincos de brilhantes da marca Tiffany que Rosa Kalil usa diariamente; pois, as filhas dela, Victória e Maria Eugênia, também usam Tiffany; muito chiques!… PRESENÇA simpática no recital de Arthur Simões, sábado, foi a do casal Sônia e Leôncio Carlos Akstein – gerente de comércio de petróleo, leia-se Petrobras – que veio do Rio comprar terras em Bagé para plantar oliveiras. Ambos, muito amáveis. Aplausos!

GESTO BONITO, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, elogiou o público da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), comparando-o ao do réveillon carioca. Ele disse que os jovens foram muito mais educados que o público do réveillon. De longe. É uma diferença fantástica. Em quatro dias de jornada em Copacabana, o equivalente a quatro réveillons, recolhemos 47 toneladas de lixo. No Ano Novo, recolhemos 300 toneladas em uma única noite. É incrível o grau de civilidade e consciência desses peregrinos. Ótima noticia!… SÁBADO de manhã, no Teatro Municipal do Rio, o papa Francisco fez um discurso em espanhol e ressaltou a importância do diálogo construtivo. Falou que é preciso reabilitar a política. Entre a indiferença egoísta e o protesto violento, há uma opção sempre possível: o diálogo. O diálogo entre as gerações, o diálogo com o povo, a capacidade de dar e receber, permanecendo abertos à verdade. Um país cresce quando dialoga de modo construtivo. O papa também lamentou que o “sentido ético” apareça, nos nossos dias, “como um desafio histórico sem precedentes” e lembrou: ”Somos responsáveis pela formação de novas gerações, capacitadas na economia e na política e firmes nos valores éticos. O futuro exige de nós uma visão humanista da economia e uma política que realize cada vez mais e melhor a participação das pessoas, evitando elitismos e erradicando a pobreza”, finalizou o papa Francisco.

O pianista Arthur Simões em recital no IMBA, sábado

O PRESIDENTE da OAB, subseção de Bagé, advogado Roberto Hecht Júnior é quem convida para o jantar-baile comemorativo ao “Dia do Advogado”. O tradicional “Baile do Rubi”, 9 de agosto, no Clube Caixeiral. Os homenageados com troféu Arnaldo Farias serão: Anacleto Luiz Antunes de Carvalho, Flávio Antônio Jacintho Cantão, Humberto Alves Gasso, Ivone Ferreira Jardim, Justino Feltrin Quintana, Laura Lacerda Gonçalves, Liliana Bender, Ludmila Patrício, Luis Agliberto Gularte Fico, Mário Cesar Machado, Mário Sérgio Marques Kucera, Rubens Madeira, Sálvio Garcia, Walter Vernet de Borba. Os jubilados nessa ocasião: Anacleto Luiz Antunes de Carvalho,  Artur Lo Iácono Lopes, Ciro Ianzer Umpierre, Clementino Machado Molina, Ivone Ferreira Jardim, Laura Lacerda Gonçalves, Luiz Clóvis Marques Pereira, Nelson da Rosa Leite,  Pedro José Jardim Rigatti, Rosa Amabile Margotto… O ADVOGADO George Teixeira Giorgis será homenageado pelos seus 50 anos de atuação jurídica. Aplausos!

Carlos Kurt cursa Letras na Unipampa e Direito na Urcamp. Atualmente, ele faz estágio na Procuradoria Federal da União e também fotografa as festas na San Carlo. Natural de Porto Alegre, Kurt pretende cursar mestrado em Gestão Pública e, depois, seguir a vida acadêmica, ele quer lecionar, uau!

ESSENCIALMENTE, Direito é a ciência que estuda a aplicação das normas jurídicas vigentes em um país. Dessa forma, seus bacharéis organizam as relações entre indivíduos e grupos sociais, zelando pela harmonia e pela correção das relações entre cidadãos, empresas e o Poder Público. Existem duas possibilidades distintas para aqueles que se formam em Direito: seguir a carreira jurídica ou atuar como advogado. A origem do termo advogado é do latim “ad vocatus”, que significa “o que vem para defender”, ou, simplesmente, intercessor. Isso talvez consiga resumir, de uma maneira muito simplista, a profissão do advogado. Entretanto, contraditoriamente à simplicidade da origem do termo, a atuação desse profissional é extremamente ampla, pois as possíveis áreas que um advogado pode escolher trabalhar são bastante variadas. Direito Trabalhista, Direito Administrativo, Arbitragem Internacional, Direito Civil, Direito Penal ou Criminal e Direito Comercial são apenas alguns exemplos. Já na carreira jurídica, o bacharel atuará em órgãos públicos de um município, estado ou União, conduzindo e/ou acompanhando investigações, podendo trabalhar como advogado público, juiz, promotor de Justiça ou delegado de polícia. Tamanha importância e abrangência tem, claro, seu contrapeso: os cursos de Direito sempre figuram como um dos mais concorridos nas grandes universidades brasileiras, oferecendo, já na hora do vestibular, um grande desafio para aqueles que o escolheram.

O contratenor José Artigas, Déa Grillo Dini e o pianista Arthur Simões

A RAPAZIADA BACANA do Interact Clube de Bagé fez a entrega de vidros para as portas da Casa Dia Vicente de Paulo, além disso, eles doaram cortinas também. O presidente do Interact Club, André de Azambuja Maraschin, na mesma ocasião, fez a doação de materiais para as oficinas realizadas com os idosos e já informou que breve o Clube vai doar um portão à creche do Pequenino Vicente de Paulo, uma parceria do Interact com a Serralheria Tropical… RECEBIconvite para lançamento do livro “Coral Vívere: a música, os sonhos e o envelhecer saudável”, de Helena Maria Rizzon Mariani, dia 5 de agosto, às 15h, no auditório da Universidade de Caxias do Sul. No livro, a autora valoriza a escuta e a leitura de histórias de vida dos cantantes – um universo de sonhos, perdas e realizações. Destaca também como o coral foi criado e como ele provocou mudanças nas interações, trazendo como efeitos a reinserção social dos participantes.

 
 
 

Seja o primeiro a comentar

 
 



 
 


cinco − 2 =

 
 

Clique em Curtir

 

Previsão do Tempo

 
 
 
Curta a Alternet no Facebook
Desenvolvido por | Time 7